Revenda de roupas – Fique por dentro desta grande tendência de negócio

REVENDA DE ROUPAS

Revenda de roupas – Fique por dentro desta grande tendência de negócio

Escrito por Criável

Revenda de roupas – O mercado de revendas é, sem dúvidas, uma das grandes apostas da Indústria da Moda. 

Pesquisas já afirmam que o volume de vendas de artigos de segunda mão irá ultrapassar o fast-fashion em menos de uma década, e a perspectiva é de que o mercado global de brechós cresça em torno de 39% ao ano, movimentando mais de 60 bilhões até 2024, segundo a plataforma ThredUp.

São números impressionantes e que fazem muito sentido, pois na era da autoexpressão, com novas gerações que abominam a massificação chegando à idade adulta, todos desejam ser únicos e originais – assim como suas peças.

O sucesso dos brechós é a grande prova disso. 

Se no passado eles eram sinônimo de “velharia”, hoje, estão cada vez mais segmentados e com status de “marca respeitada”, trabalhando a comunicação de um jeito primoroso, como é o caso do Brut Archives, brechó com curadoria de uniformes e clássicos masculinos, ou o Boutique São Paulo, especializado em peças minimalistas de alfaiataria feminina, ou ainda, o Caba, com curadoria fun dos anos 60 e 70. 

Outra evidência da ascensão da revenda de roupas é o fato de que grandes marcas já estão de olho nesse mercado. 

A Arezzo, por exemplo, adquiriu recentemente a plataforma de revendas Troc, oferecendo aos usuários a possibilidade de converter o valor das suas vendas em créditos para comprar em outras marcas do grupo, como Schutz e Anacapri.

Ah, e quem também acaba de lançar e-commerce próprio de revenda é a Levi’s, com uma seleção incrível de itens icônicos da marca. Assim como o tradicional marketplace francês La Redoute, que estreou o seu resale La Reboucle, provando que a tendência já chegou ao mainstream. 

No entanto, é importante lembrar que algumas marcas foram precursoras nisso, como a Patagonia, com seu Worn Wear, e a marca de acessórios francesa Amélie Pichard, tá?

E falando em Patagonia… Outro “x da questão” para a ascensão da revenda como um mercado promissor certamente é o fator sustentável.

A confecção de novos produtos, incluindo a extração de recursos para a produção de matéria-prima, é responsável por boa parte da pegada ecológica de uma peça. 

Ou seja, revender algo que já existe significa “pular” esses impactos negativos, fortalecendo outros aspectos bastante importantes para a sustentabilidade na Moda, como a economia circular.

Seja a sua marca grande ou pequena, aí está uma grande oportunidade de negócio que merece ser estudada. Muitas empresas, aliás, têm começado assim.

O mais importante, então, é trabalhar o Branding e a gestão para que o seu business possa aproveitar ao máximo essa nova onda, sem demandar grandes investimentos.

E aí, quer ficar por dentro de outras novidades do empreendedorismo como essa? Então clique aqui e faça o download gratuito do nosso último relatório de tendências ‘Novos tempos, novos negócios: 5 modelos para te inspirar’.

marca sustentável

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *