Marca de Moda: Como começar?

Como começar uma marca de moda

Marca de Moda: Como começar?

Escrito por Criável

Todos os dias, nós recebemos muitas perguntas aqui no CRIÁVEL. Mas, sem dúvidas, a mais frequente é: “Quero ter a minha marca de Moda. Por onde eu começo?”.

Para responder essa questão, aqui nesse post você encontra um verdadeiro passo a passo com todas as etapas que nós acreditamos essenciais para que uma marca possa ter sucesso hoje, ainda que ela comece do zero e com pouquíssimos recursos (a.k.a nenhum real no banco!).

Então vamos lá.

#1 Antes de começar, pense na contribuição que você deseja deixar para o mundo

Outra pergunta muito comum aqui no CRIÁVEL é “O mundo precisa de mais uma marca?”

E a nossa resposta pra ela é… depende.

Se a sua marca existe apenas para gerar lucro ou oferecer produtos parecidos com tantos outros já existentes, o nosso conselho é que você ou reveja as suas intenções, ou procure uma outra área para investir os seus recursos; já que muito dificilmente uma marca irá sobreviver daqui pra frente sem um propósito.

Mas, se você tem consciência da contribuição social, cultural, ambiental ou até mesmo emocional que pretende deixar para o mundo, meus parabéns! Você está no caminho certo.

Aliás, uma ótima pergunta para se fazer nesse momento é: Você faria essa contribuição de graça? Sem ganhar nada pra isso?

Se você respondeu SIM, pode comemorar, pois isso significa que você já fez um match ideal, unindo paixão, vocação e propósito de marca em uma mesma iniciativa. 😉

#2 Enche o peito de coragem e vai!

Se você está com medo, vai com medo mesmo! Empreender é sinônimo de estar em movimento, de ir fazendo a aprendendo.

Não se apegue ao momento ideal – aquele em que você finalmente se sente pronta para começar – porque pode ser que ele nunca chegue.

Nenhum produto ou marca nascem perfeitos e por mais que alguns aspectos de um novo negócio devam funcionar de forma 100% profissional (como, por exemplo, tudo relacionado a contratações e direitos trabalhistas), a parte criativa, por outro lado, permite algum grau de amadorismo.

*E amadorismo aqui não significa falta de comprometimento, tá? Mas algo feito com o amor, com o coração, muito mais do que com refinamento.

 

#3 Se aproxime das pessoas certas

Nós já perdemos as contas de quantas vezes já repetimos que hoje ninguém faz mais nada sozinho – e isso vale, sobretudo, para quem está começando uma marca de Moda.

Faça um bom uso das redes sociais e aproveite para acompanhar o trabalho de experts que compartilhem da sua visão de mundo para se aprofundar nos assuntos que você ainda não domina.

Procure ler diferentes opiniões sobre os mais diversos assuntos para captar uma boa percepção não só do mercado, como dos novos comportamentos que estão transformando o mundo e conduzindo o sucesso de projetos inovadores.

Tudo isso certamente irá gerar muitos insights para você e – atenção!!! – essas ideias serão o seu maior tesouro.

Anote tudo de forma organizada e jamais subestime o valor desses insumos criativos, pois eles podem ser a semente de grandes produtos, ações e campanhas no futuro.

 

#4 Leia e estude sobre Branding

Quanto mais clareza você tiver sobre a sua estratégia de Branding, melhor para a sua marca. E se você não tiver isso consolidado, estruturado e registrado em um Guia de Marca e Estilo, não tem problema, ainda é muito válido estudar sobre o tema desfrutando dos diversos materiais gratuitos disponíveis na internet.

Bom, se você chegou até aqui, é porque provavelmente já deu check nesse passo, né?

Então a gente já vai te recomendar o nosso livro favorito pra quem quer estudar o Branding a fundo: ‘Zag: A Estratégia Número 1 das Marcas de Sucesso’.

 

#5 Construa os pilares básicos da sua marca

O passo agora é definir, no mínimo do mínimo, a sua essência, o seu propósito, os seus valores e a personalidade da sua marca. 

Ao estudar Branding você vai ver que os pilares de uma marca incluem outras coisas igualmente importantes; mas esses 4, certamente, são os mais essenciais e precisam estar na ponta da língua, orientando todas as suas decisões, tá?

Sem isso, a sua marca corre o risco de não ter coerência, o que dificulta muito as conexões entre marca e público, além de deixar o seu negócio facilmente “esquecível”. 

 

#6 Saiba direitinho para quem você quer vender

E cole nessas pessoas! Conhecer profundamente o seu público é fundamental para ter uma marca reconhecida.

Muita gente acredita que para uma marca crescer, ela precisa tentar agradar ao maior número de pessoas – mas, adivinha só, isso é um grande mito! Na verdade, uma marca só precisa agradar as pessoas certas, ou seja, o seu público. 

Algumas ideias para fazer isso, são:

  • Acompanhar diariamente representantes do seu público nas redes sociais;
  • Fazer pesquisas via Google Forms ou Instagram;
  • Ir aos lugares que o seu público frequenta e tentar conversar com potenciais clientes para saber o que anda influenciando e roubando a atenção dessas pessoas.

Assim você garantirá que os seus produtos e serviços sejam realmente úteis para esse grupo, além de descobrir como se diferenciar da concorrência.

 

#7 Estruture um plano de negócio (ainda que básico)

Esse provavelmente vai soar como o passo mais “chato”, mas criar um documento básico reconhecendo os seus objetivos e as ações necessárias para alcançá-los vai te trazer muita clareza e confiança na hora de colocar a mão na massa, diminuindo assim os seus riscos e incertezas.

Para começar, a gente recomenda que você faça uma análise SWOT, ou FOFA em português, colocando em perspectiva as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças para o seu negócio.

 

#8 Trace parcerias do coração para tudo o que você quiser ou precisar

É como a gente já disse ali em cima: Você não vai conseguir – e nem precisa! – fazer tudo sozinho.

Olhe ao redor e busque parcerias de confecção, vendas, tecnologia, marketing, conteúdo, ou qualquer outro assunto que você ainda não domine.

Mas, sobretudo, cultive relações transparentes e profundas com essas pessoas para que vocês possam crescer e aprender juntos. Muitas marcas grandes só chegaram onde chegaram porque tinham bons aliados lá no início!

Ah, e se você sentir que ainda não sabe como identificar essas pessoas, “volte algumas casas” até o passo #5, e se relacione com quem tem afinidade com os pilares da sua marca.

 

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *